Em 13/11/2017

 

Aumento abusivo na conta de energia revolta consumidores de Itaporanga e Conceição

 



           Por Redação da Folha – Ao receberem a conta de energia este mês, muitos consumidores de Itaporanga e Conceição tiveram uma surpresa nada agradável. Uma surpresa que se transformou  em revolta. Muitos argumentam que não ocorreu o consumo alegado pela concessionária para majorar o valor da conta.  Em alguns casos, o aumento chegou a 100%.

          “É impossível você aumentar seu consumo em 100% de um mês para o outro, principalmente porque não houve aumento de pessoa em casa nem de eletrônicos nem eletrodomésticos”, comentou um morador da Avenida Solon de Lucena, centro de Conceição, cuja conta subiu de 200 reais para mais de 400, o que o motivou a entrar na Justiça contra a Energisa.

            Em outros casos observados pela reportagem, a cobrança abusiva fica ainda mais evidente: em residências fechadas, a concessionária registrou aumento de consumo de um mês para o outro e aumentou o valor da conta. “Como pode ter havido aumento de consumo se não tinha gente consumindo?”, questiona um proprietário de imóveis, que também poderá recorrer à Justiça se o problema não for sanado administrativamente.

            Em Itaporanga, o aumento de consumo alegado pela empresa para majorar a conta de luz também é questionado por muitos consumidores e há, de fato, evidência de aumento abusivo em muitas residências.

            Um casal de idosos, morador da Rua Marta Batista de Moura, centro de Itaporanga, viu sua energia subir de pouco mais de 100 reais para mais de 180, um reajuste descomunal de um mês para o outro. A concessionária alega, na descrição da conta, um aumento do consumo em 50 kwh, mas os dois moradores da casa não concordam: acham impossível apenas duas pessoas idosas aumentarem o consumo tão expressivamente no intervalo de tão pouco tempo, quando, em vez de gastar mais, eles fizeram foi reduzir o consumo no período. "Mas foi pior, se soubesse, não tinha feito tanto sacrifício, porque já tinha achado caro 100 reais no mês passado e, por isso, economizei, mas foi pior", comentou a idosa.

            É importante registrar que a cobrança do mês passado teve uma diferença para este em razão do aumento da bandeira tarifária, com um adicional da bandeira vermelha em função do aumento do custo da energia por conta da seca nas hidrelétricas, mas o reajuste da tarifa não explica o aumento abusivo das contas em muitos casos. Foto: de um mês para outro, um reajuste inexplicável na conta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Informes & Opinião

Folha do Vale www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados