Notícias >> Arte e Cultura
  •  

    Em 22/11/2016

     

    Obra cordelista de Itaporanga será lançada em João Pessoa no dia 3 de dezembro

     



                    Por Redação da Folha - O coronelismo e o imperialismo traduzidos em uma visão popular, através da literatura cordelista. “O encontro de Bin Laden e Lampião” é o título do cordel de autoria do jornalista Sousa Neto e que será lançado no dia 3 de dezembro, às 16h, na API (Associação Paraibana de Imprensa), em João Pessoa.

                    A obra popular traça uma ponte ideológica entre o coronelismo, fenômeno político-social do Sertão nordestino, caracterizado pela opressão e a promiscuidade das instituições públicas, e o imperialismo, que é a ação bélica, econômica e cultural de nações ricas sobre as pobres, gerando desarranjo social interno nos países subjugados.  

                    Desses fenômenos sociais oriundos de um modelo de poder predatório e opressor é que nasceram figuras como Bin Laden e Lampião, "filhos do Oriente e do Sertão", que combateram as opressões e injustiças do poder e, para alguns, foram heróis, mas, para outros, criminosos. O cordel liga ideologicamente as duas personagens e traz uma boa história fictícia sobre o encontro dos dois, mas conta também muitas verdades.

                    O jornalista convida toda a colônia itaporanguense e do Vale em João Pessoa para prestigiar o evento literário e conferir o folheto de cordel, todo pensado e produzido em Itaporanga. Foto: o desenho da capa do cordel é do chargista Kadinho.

                  

                    Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

  •  

    Em 29/10/2016

     

    Poesias de Itaporanga e de cidades de São Paulo são as primeiras a chegar para concurso literário

     



                   Por Redação da Folha – Com as inscrições abertas e gratuitas desde o último dia 20, para o seu 6º concurso literário, a fundação José Francisco de Sousa já começou a receber inscrições para o certame, que vai premiar duas categorias de poesia: erudito e popular. Os dez primeiros colocados nas duas categorias vão receber medalhas

               Entre as primeiras poesias chegadas estão trabalhos poéticos de Itaporanga e do estado de São Paulo, especialmente das cidades de Rio das Pedras e Martinópolis. As inscrições vão até o final de dezembro e qualquer pessoa que tenha alguma poesia, seja grande ou pequena, antiga ou atual, popular ou erudita, pode se inscrever no certame literário.                    

                   Vejam integralmente o edital e saiba como participar:

    6º Concurso de Poesias da Fundação José Francisco de Sousa
    Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 6º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 31 de dezembro de 2016. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em uma folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise da obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale e especialistas convidados analisar as obras, avaliando critérios como riqueza, técnica e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2017, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 – Da premiação:
    Do primeiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2016.
    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794

    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

     

  •  

    Em 22/10/2016

     

    Abertas inscrições para o 6º concurso literário de Itaporanga em homenagem ao Dia do Poeta

     



               Por Redação da Folha – A fundação José Francisco de Sousa, com sede em Itaporanga, lançou nessa quinta-feira, 20 de outubro, Dia do Poeta, o edital para o seu 6º concurso literário, um evento anual e que objetiva estimular a prática da arte literária e oportunizar espaço para poetas e poetisas mostrarem seus trabalhos e tê-los avaliados, além de revelar novos valores para a literatura.

                O certame vai premiar do primeiro ao 10º colocado nas categorias Cordel e Erudito. As inscrições são gratuitas e vão até o final de dezembro. Qualquer pessoa com qualquer texto poético pode participar.

     

    Vejam o regulamento integral do concurso:

    6º Concurso de Poesias da Fundação José Francisco de Sousa
               Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 6º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 31 de dezembro de 2016. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em uma folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise da obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale e especialistas convidados analisar as obras, avaliando critérios como riqueza, técnica e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2017, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 – Da premiação:
    Do primeiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2016.
    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794

    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

  •  

    Em 21/10/2015

     

    Fundação lança seu 5º concurso de poesia para Itaporanga e o país inteiro

     



                  Por Redação da Folha – Nessa terça-feira, 20 de outubro, Dia do Poeta, a fundação José Francisco de Sousa lançou seu quinto concurso de poesia e, mais uma vez, vai premiar duas categorias: clássico e cordel.
               Conforme o regulamento do certamente literário, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 30 de dezembro deste ano. O objetivo do concurso é oportunizar a qualquer pessoa de Itaporanga e de qualquer parte do país que escreve texto poético um espaço para avaliação e divulgação do seu trabalho, revelando novos valores para a literatura.
                  As poesias podem ser enviadas à fundação pelos Correios (endereço no regulamento) ou pela internet através do e-mail folhadovali@yahoo.com.br ou deixados diretamente na sede da fundação. Os dez primeiros colocados de cada categoria serão premiados. No ano passado, obras de todo o país e até de fora do Brasil concorreram.
                  A fundação José Francisco de Sousa é uma entidade humanitária e sociocultural e está situada em Itaporanga, sendo mantida pelo jornal Folha do Vale e diversos outros colaboradores. Foto (arquivo) evento de entrega da premiação do concurso anterior reuniu muita gente.

    Vejam o regulamento abaixo:

     

    5º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa

    Constituição e Regulamento

             Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 5º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia clássica e o cordel, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 30 de dezembro de 2015. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em um folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise das obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale analisar as obras, avaliando critérios como riqueza e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2016, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 – Da premiação
    O primeiro colocado em cada categoria receberá medalha e troféu; o segundo colocado receberá medalha; e do terceiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) também receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2015.

    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9-9994-2794
    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br


     

     

     

  •  

    Em 25/03/2015

     

    Filha de itaporanguenses ganha seu 1º prêmio internacional e Assembleia vai homenagear cantora

     



    Por Isaías Teixeira/Folha do Vale - A cantora, compositora e musicista Lucy Alves, que completou 29 anos no último dia 6 e é filha de itaporanguenses, será homenageada pela Assembleia Legislativa da Paraíba com a medalha Augusto dos Anjos, uma das mais importantes honrarias da Casa. Ela venceu a última edição do prêmio Brazilian Press Awards na categoria Melhor Show em Turnê de 2014, desbancando artistas renomados da música brasileira.
    O autor da propositura foi o deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB), que foi aprovada por unanimidade. O parlamentar destacou o talento musical da paraibana, que se projetou nacionalmente após participar do reality show The Voice Brasil, da TV Globo, em 2013, e ficar na segunda colocação. “Com bacharelado em música pela Universidade Federal da Paraíba, Lucy Alves, além de cantora, é uma instrumentista que toca mais de uma dezena de instrumentos. Sanfona, bandolim, piano, violão, guitarra, cavaquinho e pandeiro se incluem no universo dessa paraibana que vem encantando ao público brasileiro, desde que integrava o Grupo Clã Brasil”, justificou o deputado.
    Ricardo Barbosa também destacou a importância do prêmio conquistado pela paraibana. “A comprovação de toda essa aceitação no mercado musical é o Brazilian Press Awards, prêmio que Lucy Alves venceu na categoria Melhor Show em Turnê de 2014”. O Brazilian Press Awards é o prêmio da imprensa brasileira no exterior e revela grandes nomes da música brasileira no âmbito internacional. Com a conquista do prêmio, a artista deverá ter uma maior visibilidade no estrangeiro.
    O anúncio do prêmio foi feito em uma cerimônia para jornalistas e convidados na última terça-feira, 17, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Conforme a imprensa nacional, Lucy deverá receber o prêmio no dia 9 de maio, também na Flórida. Aqui na Paraíba, ainda não há uma data definida para a entrega da medalha Augusto dos Anjos à cantora, mas deverá ocorrer quando a agenda da artista permitir.
    Muitas homenagens - Lucy Alves tem recebido várias homenagens desde que ficou conhecida nacionalmente. No ano passado, por exemplo, a Câmara de Vereadores de Itaporanga concedeu à cantora o Título de Cidadão Itaporanguense, mas ela não pode comparecer à solenidade de entrega do diploma, ocorrida em 26 de junho, por conta de um show que iria realizar em Alagoas no mesmo dia, e uma tia dela foi quem representou a artista.
    Lucy Alves é filha de Zé Badu e Maria José, casal de músicos e empresários itaporanguenses. Ela, que nasceu e mora João Pessoa, é bisneta do sanfoneiro Dedé do Cantinho (já falecido), de quem herdou o talento para a música.
    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

  •  

    Em 07/02/2015

     

    Em mais um certame literário de Itaporanga, fundação divulga resultado e premia vencedores

     



    Por Redação da Folha – Poetas e poetisas de várias cidades regionais participaram do evento de divulgação do resultado e premiação dos vencedores do 4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, na noite deste sábado, 7. O certame literário transformou-se em uma grande noite poética, onde vários declamadores encheram o ambiente de versos, alegria e emoção.
    O evento foi realizado na sede da própria entidade, que fica na Avenida Padre Lourenço, centro de Itaporanga. Na categoria cordel, o vencedor foi o poeta Anchieta Olegário, que é de Itaporanga, mas atualmente reside em João Pessoa. Em segundo lugar ficou o poeta Jorge de Sousa Rolim, que é de Ibiara. Nesse segmento, mais nove poetas receberam medalhas, grande parte deles de Piancó, cuja participação foi expressiva no certame, tanto em uma categoria como na outra, mas teve também premiados de Aguiar, Santana dos Garrotes e Itaporanga.
    Na categoria erudito, o vencedor foi o poeta Jucemar Severino de Sousa, que é de Olho D’água, e em segundo lugar ficou José Ventura Filho, um piancoense radicado em João Pessoa. Outros poetas foram premiados nesse estilo, um dos quais do Espírito Santo e de Mato Grosso do Sul. Entre as figuras ilustres presentes ao evento, o escritor Paulo Conserva e o polivalente Chico Jó. Pelo outro lado, muitos dos premiados não puderam comparecer ao evento.
    Conforme a fundação, o objetivo do concurso é incentivar a produção literária e oportunizar aos poetas e poetisas um espaço para ter sua obra avaliada e divulgada. Também é um momento para integração e interação entre os poetas regionais. “A cultura artística é a alma de qualquer sociedade e um povo precisa crescer com alma para se tornar solidário, sensível, justo e harmônico. Não adianta desenvolvimento econômico sem cultura artística, porque este modelo de sociedade nos levará à brutalidade, à injustiça social e à violência”, comentou o jornalista Sousa Neto, presidente da fundação. Fotos: imagem de alguns dos premiados e o destaque para os poetas que foram primeiro e o segundo lugares na categoria cordel.
    Vejam a relação dos classificados, 22 dos quais premiados, 11 em cada categoria:
    Categoria Cordel:
    1º Anchieta Olegário – Itaporanga – A Falência do Jogo de Luis de Zaquié
    2º Jorge de Sousa Rolim – Ibiara – Festa da emancipação política
    3º Jota Sousa – Itaporanga – A mentira tem pernas curtas
    4º José Leite de Andrade – Piancó – É melhor depois dos 30
    5º Antônio Clementino de Sousa e Aildon Severino de Sousa – Santana dos Garrotes – Ela existe. Não posso dizer quem é.
    6º Lucas Davi Farias Costa – Piancó - Paraibano sim, nordestino com orgulho
    7º Francisca Idelania Cavalcante Silva – Aguiar – Saudades
    8º Erivar Moisés de Lima (Poeta do Marmeleiro) – Itaporanga – Transposição do Rio São Francisco
    9º José Avanildo Lopes Rodrigues – Piancó - Natureza Ferida
    10º José Nilton Leite – Piancó - Flores e Espinho do Sertão
    11º Dr. Demir Cabral – Itaporanga – O mundo dos meus netos
    12º Jefferson de Souza – Santa Terezinha (PE) – Mané do Cocô e o encontro com Lampião
    13º - Ruth Hellmann – Dourados (MS) - A Lenda dos Tuiuiús
    14º José Ventura Filho – João Pessoa – Santo Antônio
    15º Antônio Clementino de Sousa – Santana dos Garrotes – Prece a Nossa Senhora Aparecida
    16º Jucemar Severino de Sousa – Olho D’água - A consciência do voto
    17º Aildon Severino de Sousa – Santana dos Garrotes - Enviado de Deus
    18º José Givanildo da Silva Júnior – Piancó – Mestre no Xadrez
    19º Alison Matheus Soares Leite – Piancó - Tentativa de homenagem
    Categoria Erudito:
    1º Jucemar Severino de Sousa – Olho D’água – O Meu Eu
    2º José Ventura Filho – João Pessoa – Riacho do Conselho
    3º Demir Cabral – Itaporanga – A depressão
    4º André Luiz Soares – Cavaleiro de Cervantes – (Guarapari – ES) – Círculo vicioso
    5º Rosely Jerônimo da Silva – Piancó – Meu Brasil, meu herói
    6º Hosmá Passos da Silva Filho – Piancó - Soneto dos Contextos
    7º Ruth Hellmann – Dourados (MS) – O trabalho
    8º Hércules Dias de Caldas – Piancó – Vida Insignificante
    9º Antônio Cabral Alves de Sousa – Piancó – Ilusão
    10º Alex Vinícius Soares Fernandes – Piancó – Como entender o amor
    11º Erinaldo Silva – Diamantina (MG) – Exílio
    12º Manoel Messias Soares Celestino – Piancó – O meu tudo
    13º Pedro José da Silva Filho – Piancó – A graça do meu viver
    14º Damião Mamede – Piancó – Os jovens mudam o país
    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

  •  

    Em 25/01/2015

     

    Data da divulgação do resultado e premiação do concurso literário de Itaporanga já definida

     



    Por Redação da Folha – Em função do grande número de obras inscritas no 4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, o evento de divulgação do resultado e entrega da premiação, previsto para o último sábado de janeiro, conforme o edital, foi adiado para a noite de 7 de fevereiro.

    O evento será realizado a partir das 19h30 na sede da fundação, que fica na Avenida Padre Lourenço, 392, centro de Itaporanga. A presença dos poetas inscritos é opcional, mas, quem puder comparecer, a presença é importante.

    O concurso vai premiar com medalhas os dez primeiros colocados nas duas categorias: cordel e erudito. Além de poetas e poetisas de vários municípios do Vale, a exemplo de Itaporanga, Piancó, Ibiara, Olho D’água, Ibiara, Santana dos Garrotes e Aguiar, houve muitas inscrições de fora da região: João Pessoa, Pernambuco, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e outros estados.

    O concurso objetiva estimular a produção literária e oportunizar que poetas e poetisas tenham suas obras avaliadas e premiadas. As medalhas para os 20 competidores mais destacados são doadas pelo Novo Mundo Center, de Cícero Carneiro.

    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

  •  

    Em 17/01/2015

     

    O artista que fez uma música pelos 150 anos de Itaporanga e quer seguir a carreira musical

     



    Por Redação da Folha – Ele reside em Itaporanga, e ganha a vida daqui para São Paulo, onde trabalha como camelô, mas seu talento não é apenas para o negócio: é também para a música. Bom compositor, Lusimar Celestino tem mais de 120 composições musicais e a última delas foi uma homenagem aos 150 anos de Itaporanga.
    Na música, intitulada "Itaporanga meu orgulho", fala da origem da cidade, do progresso protagonizado por comerciantes e empresários e também relembra alguns personagens de nossa história e que contribuíram para o desenvolvimento da terra, entre os quais Pitanga, Balduino, Madruga, Salomé e Mãe Burrega.
    Ele defendeu sua música durante um festival comemorativo ao aniversário da cidade e promovido pela Prefeitura, mas não ficou satisfeito com a organização: “disseram que iria colocar uma banda para acompanhar os artistas, mas não fizeram, e o que também me deixou insatisfeito foi porque a mesa julgadora não deu as notas na hora e até hoje eu não sei qual foi minha pontuação”, comentou Lusimar.
    Com muita música boa composta e muita vontade de seguir na música, ele está determinado a correr atrás dos seus ideais artísticos. “Não vivo da música porque é muito difícil fazer profissão dessa arte, mas quero seguir compondo e cantando porque o meu objetivo é levar minha mensagem através da música ao povo”, comentou.
    Lusimar é fã incondicional de Roberto Carlos, mas compõe de tudo, e um dos traços marcantes de sua música é a crítica social: questiona a realidade como meio de buscar a consciência coletiva e a mudança necessária para uma vida melhor. Também usa a música como instrumento para contar suas experiências de vida e o sentimento advindos dessa vivência: alegrias, prazeres, mas também tristezas e decepções.
    É um artista antenado com seu tempo e com a realidade em que vive, e sua obra musical reflete exatamente sua condição de homem simples, mas sensível, talentoso e plenamente sintonizado com o mundo à sua volta. Foto: Lusimar durante apresentação no festival de música.
    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

     

  •  

    Em 14/01/2015

     

    Aos 18 anos e líder de um grupo de forró, itaporanguense tem feito sucesso nos palcos que pisa

     



    Por Isaías Teixeira/Folha do Vale - Itaporanga é considerada a cidade da música, e, a cada dia, surgem novos talentos musicais que tocam essa fama adiante. Os mais novos integrantes dessa seara são jovens músicos que se juntaram e formaram o Igor Sousa & Forró Mió. O grupo toca uma das vertentes do tradicional forró pé de serra que tem feito a cabeça da juventude, o chamado estilizado.
    O líder do grupo é o jovem vocalista e compositor Igor Sousa, de apenas 18 anos, sobrinho do radialista itaporanguense França Sousa e do treinador de futebol Reginaldo. Vocacionado para a música, ele tem feito bonito nos palcos que pisa e dá passos largos para o sucesso, mas sabe que tem ainda um longo caminho pela frente, o que passa por dedicação e estudo no concorrido campo musical.
    A banda Forró Mió tem cerca de seis meses de criação e é resultado do fim do Trio Forró Mió, criado em 2013 por Igor e amigos, que se integraram ao novo projeto. Somente a banda que acompanha o vocalista tem sete componentes, entre os quais estão Júnior Silva (zabumba); Nilck (Percussão); Ataúfo (guitarra); e Miqueias (contrabaixo).
    Os meninos têm se apresentado constantemente aqui na região e também fora dela. Até Campina Grande, terra do maior e melhor São João do Mundo, já viram o trabalho deles. Foi em um ponto comercial bastante conhecido e frequentado na cidade. E agradaram tanto que irão retornar em junho para uma nova apresentação.
    O último show de Igor & Forró Mió foi no último dia 6, em praça pública, na festa de emancipação política de Itaporanga, onde gravaram um CD ao vivo com músicas conhecidas do público. O trabalho completo, que reúne 14 canções, pode ser escutado acessando o palcomp3.com/forromioeeeitaforrozao. No 31 deste mês eles estarão em Piancó fazendo um show em um clube local.
    Este ano, os jovens irão gravar um CD com músicas inéditas. Entre as canções estará a “Voltas que o mundo dá”, da compositora cearence Érica Sousa, uma das parceiras do Igor & Forró Mió. A música, inclusive, já vem sendo trabalhada nas apresentações com boa receptividade do público.
    Sobre forró estilizado - O forró estilizado mescla instrumentos do pé de serra, como sanfona e zabumba, com a instrumentação moderna, tais como a bateria, o teclado, o contrabaixo, o sax e a guitarra elétrica com influências do pop e rock.
    Telefones de contato – Para contratar ou saber mais informações sobre Igor & Forró Mió é só ligar para os seguintes celulares: (83) 9601-4445 e o (83) 9867-6092.

    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.
     

  •  

    Em 13/01/2015

     

    Destaque em projeto oficial, jovem músico de Itaporanga vai representar o Vale em evento no Sul

     



    Por Isaías Teixeira/Folha do Vale – Um garoto é o destaque de Itaporanga no Programa de Inclusão através da Música e das Artes (Prima), do Governo do Estado, e foi um dos quatro do Sertão escolhidos para participar do tradicional Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), que ocorrerá entre os dias 18 deste mês e 1º de fevereiro na cidade de Jaraguá do Sul. Luan Leite Pacheco, que completa 12 anos no próximo dia 19, toca clarinete e já está pronto para viajar e representar a região e Paraíba no importante evento internacional. Será uma excelente oportunidade para trocar experiências com talentos do Brasil e de países que irão participar do festival.
    O menino itaporanguense herdou do pai o DNA musical. Ele, que também tem um irmão estudante no Prima, começou a tirar as primeiras notas no instrumento de sopro quando tinha apenas nove anos de idade e não parou mais. Aluno de uma escola particular, o Colégio Diocesano Dom João da Mata, onde ingressará este ano no 7º ano do fundamental, entrou em 2011 na Filarmônica Cônego Manoel Firmino, banda do educandário criada pelo saudoso Padre Zé e responsável por revelar grandes talentos para a música, a exemplo do falecido trombonista Radegundis Feitosa.
    Com a chegada do Prima a Itaporanga em 2013, Luan foi matriculado para participar do projeto e também começou a se destacar, tornando-se o primeiro clarinete da orquestra do polo local, atribuição que é dada geralmente ao melhor do grupo. Dedicado e talentoso, despertou a atenção do coordenador-geral do programa no estado, o gabaritado maestro gaúcho Alex Klein, fundador do Femusc, que o escolheu para participar do festival, após o garoto ser avaliado. Aliás, foi Klein o responsável pela criação de um plano de ação e direcionamento das atividades do programa estadual, que beneficiou a cidade com um polo.
    O Prima de Itaporanga é um dos que mais se destacam no estado, pelo envolvimento, principalmente, de professores e o talento dos alunos. O seu primeiro coordenador foi Jadeílson de Araújo Dias, que agora tem a mesma função em uma unidade na capital paraibana. Atualmente, o coordenador é Valdemário Olegário (Mamá), que também é professor e regente da orquestra. Já o professor de madeiras, que engloba clarinete e outros instrumentos de sopro, é José Leite Dias Júnior. Todos esses músicos, que igualmente saíram e ainda atuam na Cônego Manoel Firmino, são unânimes em elogiar o desempenho de Luan.
    O Prima de Itaporanga – O polo do Prima de Itaporanga funciona na escola estadual Adalgisa Teódulo da Fonseca. As aulas de música são ministradas de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h. Já os ensaios da orquestra vão das 17h às 18h. Qualquer criança a partir de 7 anos a adolescentes de até 18 anos da região podem ser aluno do Prima. É necessário que os pais ou responsáveis procurem a escola Adalgisa Teódulo para se informarem sobre como se procederem para matricular o filho. A inscrição e o curso são gratuitas. Os instrumentos musicais que eles poderão aprender são todos orquestrais, e todos foram repassados pelo Governo Estadual. Juntos, estão avaliados em mais de R$ 500 mil. Além do clarinete, tem o violino, o violão celo, a viola, o piano, a trompa de harmonia, entre outros.
    Mais sobre o Prima – O Prima é um programa inspirado no modelo existente na Venezuela, e foi trazido para a Paraíba pelo governador Ricardo Coutinho. O objetivo principal do programa é oferecer cidadania por “intermédio da música orquestral, com eventual extensão também a bandas e corais”, segundo o Governo do Estado. .
    Cidades de atuação - Além de Itaporanga, o projeto busca interagir com crianças e adolescentes de João Pessoa, Cabedelo, Campina Grande, Cajazeiras, Catolé do Rocha, Patos e Guarabira. Fotos: Luan e uma apresentação da orquetra do Prima.


     

  •  

    Em 20/12/2014

     

    Professor itaporanguense lança livro na próxima semana. Obra é uma boa lição de Português

     



    Por Redação da Folha – O professor e poeta Ivo Filho, que é de Itaporanga, mas leciona em escolas de João Pessoa, vai lançar na próxima sexta-feira, 26, no recinto da Câmara Municipal, o livro Afiando a Língua, uma obra que esclarece os pontos mais embaraçosos de nosso idioma e é uma excelente receita para quem quer falar e, principalmente, escrever corretamente.
    Licenciado e mestrado em Letras, Ivo Filho é um dos mais conceituados professores de Português de João Pessoa e a obra vem coroar ainda mais sua brilhante carreira no magistério. O livro já foi lançado na capital e agora será em Itaporanga, terra do autor e onde vive sua família.
    Esta é a terceira obra do escritor. Seus dois livros iniciais são de poesia. O lançamento de Afiando a Língua será a oportunidade também do autor retornar à sua cidade, de onde saiu há muitos anos, e rever seus familiares e amigos.
    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

     

  •  

    Em 06/12/2014

     

    Centenário de Augusto dos Anjos é comemorado em Itaporanga com escolas de todo o Vale

     



    Por Redação da Folha – Uma mostra da obra e memória do poeta paraibano Augusto dos Anjos foi realizada nessa sexta-feira, 5, no ginásio O Madrugão, em Itaporanga. Organizado pela 7ª Gerência Regional de Educação, comandada pela professora Maria do Carmo, o evento cultural comemorativo ao centenário da morte do poeta é uma iniciativa das secretarias estaduais de educação e cultura.
    Escolas estaduais de Itaporanga e de todo o Vale participaram do festival literário e expuseram suas produções relacionadas ao poeta, cuja obra e vida foram tematizadas em sala de aula e os projetos resultado do trabalho escolar exibidos ao público durante o evento. Recitais de poesias, encenações, balé e musicais também encheram o ginásio de emoção, assim como os acordes da sinfônica jovem Radegundis Feitoza.
    Várias escolas integraram o evento, entre as quais o Beatriz Loureiro, de Piancó, que abriu o festival, além da Nazaré Remígio e Santo Antônio, também piancoenses; a escola José Leite, de Conceição, cujo um dos destaques foi o aluno Ruan Victor Nunes de Sousa, que se trajou de Augusto dos Anjos e recitou versos do poeta; as escolas Bernardino Bento e Agenor Mendes, de Aguiar, também fizeram apresentações especiais; Felizardo Leite e Felizardo Dantas, de Santana dos Garrotes; Antônio Avelino, de Olho D’água; João Leite Neto, de Nova Olinda, e João Cavalcante Sula, de Boa Ventura. Escolas de Itaporanga, a exemplo da Adalgisa Teódulo, Semeão Leal, Padre Diniz, Chagas Soares e Manoel Diniz, também deram importante contribuição ao sucesso do evento.
    Paraibano nascido no engenho Pau D’arco, hoje município de Sapé, Augusto dos Anjos é um dos grandes poetas brasileiros. Considerado pré-modernista, o poeta publicou único livro, “Eu”, custeado com recursos próprios. Sua obra mostra um homem que enxergou a vida e o mundo em sua mais profunda essência. Seus conflitos com a certeza da morte e as incertezas da vida levaram-no a produzir a uma literatura que mistura sentimento e ciência, resumindo todas as formas vitais a um processo meramente físico-químico: “Eu, filho do carbono e do amoníaco/ monstro de escuridão e rutilância/ sofro, desde a epigênese da infância/ a influência má dos signos do zodíaco”.
    Abandonou o curso de Direito em Recife e se dedicou ao magistério. Morreu como professor primário em Leopoldina, Minas Gerais, em 12 de novembro de 1914, aos 30 anos, acometido por uma pneumonia. Fotos (folha - proibida a reprodução): alguns momentos do evento.
    Folha Empresa. Direito Reservado. Proibida reprodução total ou parcial deste texto e imagem. Infratores sujeitos a penalidades cíveis e criminais.

     

  •  

    Em 28/11/2014

     

    Concurso literário de Itaporanga recebe inscrição do Pernambuco e mais uma de Piancó

     



    Por Redação da Folha – Vários trabalhos poéticos estão chegando para concorrer ao 4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, que vai premiar do primeiro ao 10º colocado nas categorias Cordel e Erudito. As inscrições são gratuitas e vão até o final de dezembro. Qualquer pessoa com qualquer texto poético pode participar.
    Os mais recentes trabalhos chegados para o certame literários são do poeta e estudante Jefferson de Souza, que é da cidade pernambucana de Santa Terezinha e concorre com a obra “Mané do coco e o encontro com Lampião”, e do piancoense Hosmá Passos da Silva Filho, do bairro São Vicente, que apresentou duas obras “Soneto dos Contextos” e “Projovem urbano Piancó”. É mais um poeta de Piancó que se inscreve no concurso.
    Vejam o regulamento integral do concurso
    4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa
    Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 3º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 30 de dezembro de 2014. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em um folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise da obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale analisar as obras, avaliando critérios como riqueza e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2015, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 – Da premiação:
    O primeiro colocado em cada categoria receberá medalha e troféu; o segundo colocado receberá medalha; e do terceiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) também receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2014.
    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794
    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

     

  •  

    Em 17/11/2014

     

    Mais dois autores de Piancó e um de Itaporanga se inscrevem no concurso literário da fundação

     



    Por Redação da Folha – Qualquer pessoa que tenha algum texto poético pode encaminhar seu trabalho para o 4º Concurso Literário da Fundação José Francisco de Sousa. As mais recentes obras chegadas são de dois piancoenses e de um itaporanguense.
    De Piancó, vieram as poesias “Memória de Infância” e “É melhor depois dos 30”, do autor José Leite de Andrade, morador do Campo Novo, e “Ilusão” e “Um homem com esperança”, de Antônio Cabral, localizado na Rua Elzir Matos.
    Com as poesias “O mundo dos meus netos” e “Depressão”, o escritor Demir Cabral, de Itaporanga, mais uma vez vai concorrer no certame literário, e outras pessoas do município que também escrevem podem participar, enviando seus trabalhos diretamente para fundação.
    As inscrições são gratuitas e os autores podem concorrer em duas categorias: popular e erudito, conforme o regulamento do concurso. Vejam-no integralmente:
    4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa
    Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 3º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 30 de dezembro de 2014. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em um folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 Da análise da obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale analisar as obras, avaliando critérios como riqueza e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2015, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 Da premiação:
    O primeiro colocado em cada categoria receberá medalha e troféu; o segundo colocado receberá medalha; e do terceiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) também receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2014.
    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794

    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

  •  

    Em 09/11/2014

     

    Poesia de piancoense é uma das primeiras inscritas no concurso literário de Itaporanga

     



    Por Redação da Folha – O 4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, de Itaporanga, recebeu as primeiras inscrições. Até o dia 30 de dezembro, qualquer pessoa pode inscrever sua poesia (cordel ou erudito) no certame literário gratuitamente.
    Uma das primeiras obras chegadas à fundação é da professora Rosely Jerônimo da Silva. Sua poesia, intitulada "Meu Brasil, meu Herói", é uma crítica social, e, ao mesmo tempo, também destaca a bravura e o heroísmo do povo brasileiro, que almeja e luta por dias melhores. “A literatura, assim como a poesia, faz parte de minha vida, é uma paixão para mim, esse amor pela escrita contribuiu na escolha da minha profissão”, escreveu a professora no breve relato que fez de sua vida.
    Vejam mais detalhes no regulamento do concurso:
    4º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa
    Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 3º Concurso de Poesia da Fundação José Francisco de Sousa, objetivando o estímulo à produção literária regional e a revelação de valores no campo da poesia clássica e popular, além de celebrar o 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 30 de dezembro de 2014. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em um folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise da obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale analisar as obras, avaliando critérios como riqueza e beleza literárias, para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2015, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB.
    5 – Da premiação:
    O primeiro colocado em cada categoria receberá medalha e troféu; o segundo colocado receberá medalha; e do terceiro ao décimo lugar nas duas categorias, os candidatos (as) também receberão medalhas. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que trata o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença na solenidade.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.
    Itaporanga, 20 de outubro de 2014.
    José Francisco de Sousa Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794
    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

Aguarde um momento... Está carregando!
Desculpe, não foi encontrado nenhum resultado.
Informes & Opinião

Folha do Vale www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados