Em 15/01/2022

 

Itaporanga e a Paraíba perdem uma de suas principais referências na medicina e nas letras

 



          Por Redação da Folha – O falecimento do médico e escritor Antônio Soares da Fonseca Júnior nessa sexta-feira, 14, vítima de um infarto, repercutiu na Paraíba e deixou Itaporanga sem um dos seus filhos mais importantes. O ex-seminarista, que trocou a vocação sacerdotal pela medicina, morreu em São Paulo, onde residia e trabalhava havia décadas. Migrou para a capital paulista logo após concluir sua graduação em medicina pela UFPB e lá especializou-se: fez pós-graduação em cirurgia vascular, medicina biomolecular e psicanálise.

          Foram 50 anos de exercício da medicina em São Paulo. No final do ano passado, foi homenageado pelo Conselho Regional de Medicina paulista. “Dia 13 fui agraciado aqui em São Paulo com medalha e diploma pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo em agradecimento aos meus 50 anos de exercício profissional. Todas essas benesses eu estou dividindo com vocês. Amém”, disse Antônio em uma rede social no dia 18 de dezembro de 2021. Grande médico; devotado poeta. Na mesma postagem também agradeceu o seu ingresso na Academia de Letras de Cabedelo, ocupando a cadeira de número 22.

      Dr. Antônio Fonseca também integrava a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, a Academia Paulistana Maçônica de Letras, a União Internacional de Médicos Escritores (Paris e França) e a Academia Lisboeta de Médicos Escritores de Línguas Lusófonas. O escritor tinha 12 livros publicados, entre os quais o “Dicionário do Português Nordestino”, de 2005. Outra obra sua é “Biu de Dedé - uma sanfona, uma lenda”, livro em que narra a vida e arte de um dos pioneiros da música de Itaporanga.

         Apesar da distância de Itaporanga no espaço e tempo, nunca esqueceu suas raízes familiares e sempre defendeu a cultura e memória de sua terra.  Anos atrás, esteve na cidade e bateu de porta em porta à procura de cada poeta, cada escritor e ativista cultural para um encontro sobre a cultura e a memória de Itaporanga. A reunião aconteceu no auditório da Câmara Municipal, onde Antônio Fonseca expôs suas intenções para com o desenvolvimento da cultura artística e a necessidade de preservação da memória do município.

         Antônio Fonseca era um ativo participante de movimentos literários, entre os quais o Sol das Letras, do qual era fundador. Em sua casa, na capital paulista, acolhia muita gente da literatura e seus conterrâneos também. Um dos muitos que experimentaram sua hospitalidade está o jornalista e escritor Paulo Conserva. “Não me diga isso, não faça isso comigo, muito lamentável”, foram palavras de Paulo ao receber a notícia da morte de Antônio.

           Fonseca deixa a esposa Sally Paulino, a quem dedicava um profundo sentimento e eram públicas suas declarações de amor à companheira de tanto tempo, e com quem teve quatro filhos.  Seu sepultamento será no cemitério da Boa Sentença, em João Pessoa, onde já estão sepultados dois irmãos dele.  Luto na literatura e na medicina. Vejam reportagem falada AQUI

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 
Informes & Opinião

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados