Notícias >> Policial
  •  

    Em 20/04/2021

     

    Rapaz de 19 anos é autuado em flagrante por violência sexual em Itaporanga

     



                Por Redação da Folha – Um rapaz, de 19 anos, foi preso por policiais civis do GTE (Grupo Tático Especial) na manhã dessa segunda-feira, 19, em sua casa, que fica no começo da Rua Crizanto Pereira, centro de Itaporanga. O jovem dormia, quando a polícia bateu à porta de sua residência, onde ele mora com a mãe.

                  A ação dos policiais ocorreu depois que uma jovem de 24 anos chegou à delegacia com lesões na cabeça e acusou o rapaz de agressão física e violência sexual. O crime foi na madrugada dessa segunda-feira, quando a jovem retornava para casa na companhia de um amigo depois de uma diversão com alguns colegas.

                 Segundo informações policiais, o acusado abordou a jovem nas proximidades na rua de acesso às escolas estaduais e, à força e sob ameaça, levou-a para um local de mato. Neste momento, o amigo dela havia deixando o lugar junto com um amigo do acusado. A mulher tentou esquivar-se do rapaz, mas terminou dominada, agredida e estuprada. Depois ele ainda levou a jovem para sua casa e lavou a roupa dela que estava tomada por lama. No entanto, a vítima conseguiu fugir, usando uma camisa do rapaz. Ao chegar em casa, policiais militares foram acionados e conduziram a vítima à delegacia.

                  A moça não conhecia o agressor, mas sabia onde era a casa para a qual foi levada, o que foi importante para a identificação e prisão do acusado, que foi autuado em flagrante por estupro pelo delegado Sheldon Flucf e encaminhado à cadeia pública. Ele negou a violência sexual e disse que o sexo foi consentido, mas não explicou as lesões físicas na cabeça e rosto da vítima.

                Muito machucada e com vômitos constantes, a jovem foi conduzida à exame sexológico em Patos no começo da tarde. Familiares da vítima lamentaram que, apesar de sua grave debilidade física, ela tenha passado horas na delegacia à espera de ser conduzida ao exame, inclusive com o ferimento na cabeça aberto.

     

     

     

     

     

  •  

    Em 19/04/2021

     

    O que era para ser diversão terminou em morte na zona rural de Conceição

     



            Por Redação da Folha – O jovem Manoel Dias de Sousa, de 26 anos, desapareceu nas águas de um açude do sítio Timbaúba, município de Conceição, no final da tarde desse domingo, 18, durante um momento de diversão com amigos nos arredores do reservatório, segundo informações policiais.

              Instantes depois o corpo foi encontrado, mas já sem vida. O rapaz, que era solteiro, residia na Rua Cláudio Vieira, bairro São Geraldo, em Conceição, e costumava frequentar a zona rural do município, onde fazia alguma atividade laboral e também bebia com os amigos.

               Depois de retirado de dentro do açude, o corpo foi encaminhado para exame necrológico para o atestado oficial da causa da morte. Tudo indica que sofreu algum mal súbito enquanto mergulhava e terminou se afogando. Seu corpo foi sepultado nesta segunda-feira.

               

     

     

  •  

    Em 14/04/2021

     

    Carro tomado por assalto em Pedra Branca foi visto na capital e poderá ser apreendido a qualquer momento

     



             Por Redação da Folha - Um carro tomado por assalto em uma residência da cidade de Pedra Branca, na madrugada desta quarta-feira, 14, foi visto circulando em João Pessoa no fim desta tarde, segundo informações chegadas à delegacia de Itaporanga, que apura o caso, mas o veículo já consta no sistema de informação policial como roubado e poderá ser apreendido a qualquer momento.

              Conforme a polícia, três criminosos, armados de faca, invadiram a casa do negociante Cleonaldo Francelino de Araújo, que fica na Rua Manoel Claudino, centro de Pedra Branca, e tomaram seu veículo, um Hyundai de cor branca e ano 2019, e outros objetos de valor.

              A informação é que um dos criminosos que participou do assalto foi reconhecido pela vítima, que deverá prestar depoimento ao delegado Glêberson Fernandes sobre o caso e melhor esclarecer o fato para embasamento do inquérito policial.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 13/04/2021

     

    Com 2 filhos e sem trabalho, homem sai para passeio e é encontrado sem vida nos arredores de casa em Aguiar

     



                Por Redação da Folha – Segundo familiares, era costumeiro José Orlando da Silva, de 39 anos, sair sem propósito e chegar tarde em casa, muitas vezes embriagado, mas ele não retornou para a residência durante a noite dessa segunda-feira, 12, e hoje, logo cedo, seu corpo foi encontrado sem vida. Ele havia se enforcado em uma árvore nos arredores de sua casa, que fica na comunidade Riacho Verde, em Aguiar.

                 O homem não tinha emprego fixo, costumava cumprir tarefas rurais, mas ultimamente estava sem trabalho, inclusive passando por dificuldades, o que o motivava ao alcoolismo. Ele deixa dois filhos e esposa.

                Depois do trabalho pericial, seu corpo foi encaminhado a exame necrológico para o atestado da causa do óbito e, depois, será entregue à família para o sepultamento, que deverá ocorrer na tarde desta quarta-feira.

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 08/04/2021

     

    TJ mantém condenação por tráfico proferida pela Justiça de Itaporanga contra morador local

     



                 Por Assessoria do TJ-PB/Redação da Folha - A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, por unanimidade, manteve sentença do juiz Antônio Eugênio, da 2ª Vara Mista da comarca de Itaporanga,  na qual o réu, Laércio Mendonça de Almeida, foi condenado a um pena de nove anos de reclusão, em regime fechado, pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. A relatoria da Apelação Criminal foi do desembargador João Benedito da Silva.

                 De acordo com os autos, o Ministério Público ofereceu denúncia contra Laércio Mendonça de Almeida, dando-o como incurso nas sanções do artigo 33, caput, da Lei nº 11.343/06 e artigo 12 da Lei n° 10.826/03, combinado com o artigo 69 do Código Penal.

                 Narra a peça acusatória que no dia 14 de maio de 2020, no período da manhã, em sua residência, localizada na Rua Marta Batista de Moura, centro de Itaporanga, o denunciado foi flagrado guardando drogas (maconha e cocaína), sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar. Além disso, possuía arma de fogo e munições, de uso permitido, em desacordo com determinação legal ou regulamentar, no interior de sua residência. 

                 Ainda segundo o processo, foram encontrados nove invólucros plásticos contendo maconha, perfazendo um peso bruto de 4,72g; um invólucro plástico contendo uma pedra de cocaína, perfazendo um peso bruto de 28,30g; um revólver Taurus, calibre 32, oxidado, registro de série n° 75380, e quatro cartuchos.

                    Em sede de preliminar, a defesa alegou nulidade processual por ilegalidade da prova, visto que inexistiu situação de flagrância para justificar o ingresso dos policiais em seu domicilio, sem autorização legal. Ao enfrentar a preliminar, o relator afirmou que, conforme pacífica jurisprudência das Cortes Superiores, o tráfico de drogas se caracteriza como delito de efeitos permanentes, cuja consumação se prolonga no tempo, do que decorre a possibilidade de prisão em flagrante em qualquer momento nessa espécie de ilícito, independente de prévia expedição de mandado de busca e apreensão para ingresso no domicílio do suspeito, nos termos do artigo 5º, inciso XI, da Constituição Federal.

                       No mérito, o relator afirmou que a materialidade e autoria dos crimes estão configuradas. “Dessa forma, apesar de o ora apelante negar que era traficante, afirmando que a droga apreendida era para consumo, não conseguiu rebater as acusações, não trazendo aos autos nenhuma prova capaz de desautorizar a decisão condenatória, ainda mais levando em consideração as circunstâncias em que a droga fora encontrada”, pontuou o desembargador João Benedito da Silva.

     

     

     

  •  

    Em 05/04/2021

     

    Suicídio em Diamante e desaparecimento em Aguiar

     



              Por Redação da Folha – A comunidade de Barra de Oitis, município de Diamante, foi surpreendida na tarde desse domingo, 4, com o suicídio de um dos seus moradores. O viúvo Claudeci Delfin de Lima, que completaria 63 anos no dia 10 de abril, deu fim à própria vida por meio de enforcamento.

             O suicídio ocorreu no interior de sua própria casa, a qual familiares precisaram arrombar depois que não viram movimentação durante o dia na residência. O idoso já estava sem vida quando o pessoal teve acesso ao imóvel.

              O relato, conforme a polícia, é que, depois que ele perdeu a esposa, passou a apresentar sinais de depressão, o que terminou o conduzindo ao suicídio.

              Já em Aguiar, o drama é outro. Há quatro dias, um morador do sítio Caboclo, Damião Rodrigues, conhecido como Damião Fiapo, de 53 anos, despareceu e, até agora, apesar de várias buscas, nenhum sinal do homem, que sofria de alcoolismo.

               Damião é separado e tem um filho. Familiares notaram seu desparecimento na última quinta-feira, 1º, e, de lá para cá, não foi mais visto. Segundo relatos, apesar de beber constantemente, era uma pessoa sem inimizades e muito conhecida no município aguiarense, mas costumava também andar por Igaracy.

     

     

     

     

  •  

    Em 01/04/2021

     

    Assalto a mercadinho em Aguiar rende dinheiro e celulares para criminosos

     



                   Por Redação da Folha – O assalto foi a um estabelecimento conhecido como Mercadinho de Bozano, que fica na Vila São Francisco, um dos setores urbanos da cidade de Aguiar, na noite dessa quarta-feira, 31.

                    Segundo narrou o próprio dono, dois criminosos armados e de capacete chegaram ao estabelecimento e anunciaram o assalto. Rendido e sob ameaça, o proprietário, um homem de 37 anos, entregou aos assaltantes 1.500 reais e dois celulares. A dupla fugiu em seguida na mesma moto que chegou.

                    Ocorreram diligências policiais nos arredores do município no sentido de encontrar os criminosos, mas eles não deixaram rastros e pode ser a mesma dupla que costumeiramente comete roubos na área entre Aguiar e Coremas.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 30/03/2021

     

    Emboscada fatal contra agricultor de Conceição na zona rural de Ibiara: já há suspeito

     



             Por Redação da Folha – A execução a tiros ocorreu no começo da manhã desta terça-feira, 30, no sítio Lagoa Seca, zona rural de Ibiara. O agricultor Gilmar Pereira de Morais, de 31 anos, seguia de moto para sua roça, quando foi emboscado e morto. Ele era solteiro, residia no sítio Roçado, município de Conceição,

              Segundo informações policiais, no momento que o agricultor reduziu a velocidade para passar por uma porteira, foi alvejado com, ao menos, dois tiros, e morreu na hora. Populares encontraram o corpo e acionaram a polícia. A área foi isolada até a chegada da perícia e, depois do trabalho pericial, o corpo foi encaminhado a Patos para necropsia e o atestado oficial da causa do óbito.

               O delegado José Pereira foi quem recebeu a diligência e deu início às primeiras diligências no sentido de apurar a autoria e motivação do crime. O delegado informou que já há suspeitas, mas tudo está sendo mantido em sigilo para não atrapalhar as investigações.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 26/03/2021

     

    Muita gente cai no golpe do WhatsApp clonado e fica no prejuízo em Itaporanga

     



             Por Redação da Folha - Uma cabeleireira do mercado público de Itaporanga teve seu WhatsApp clonado nas últimas 48 horas. Passando-se por ela, golpistas mandaram mensagem para vários dos seus contatos pedindo dinheiro emprestado e se deram bem.

               Várias pessoas acreditando tratar-se realmente de uma coisa séria e verdadeira, transferiram dinheiro para as contas dos falsários. Uma das contas usadas no golpe é do banco Bradesco (agência 7320; conta 0286502-5) e está em nome de Alexandre Feitas Vieira. Ao menos 5 pessoas depositaram dinheiro em três contas diferentes e o prejuizo pode chegar a 13 mil reais.

                A dona do telefone clonado disse que esteve na delegacia, mas não pode fazer o boletim de ocorrência presencialmente por não se tratar de caso envolvendo violência e foi orientada a registrar a ocorrência pela internet, o que, para a vítima, é uma dificuldade a mais pela falta de acesso e conhecimento para lavratura virtual do fato.

              Embora o registro policial do caso seja importante, esses tipos de queixas acumulam-se nas delegacias pelo país afora, mas poucos são investigados. No entanto, são crimes que deixam muitos rastros. Sem punição, esses delitos patrimoniais se alastram por aqui e por todos os cantos, fazendo muitas vítimas.

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 26/03/2021

     

    Por ordem da Justiça, homem de 44 anos é preso em Itaporanga por suposto abuso sexual

     



              Por Redação da Folha – A prisão, determinada pela Justiça de Itaporanga, é temporária por 30 dias, mas poderá ser convertida em preventiva no final desse período. O mandado de prisão foi cumprido por agentes do GTE (Grupo Tático Especial) da delegacia seccional.

                O homem de 44 anos foi preso em sua casa, no loteamento Paullus, nessa quinta-feira, 25. Um inquérito policial apura uma suposta prática de abuso sexual contra crianças que frequentavam a casa do investigado para brincar com seu filho.

                As crianças relataram os abusos aos pais e estes procuraram a polícia. O delegado responsável pela investigação pediu a prisão temporária do acusado à Justiça, que determinou o recolhimento do investigado à cadeia da cidade.  

     

     

     

     

  •  

    Em 19/03/2021

     

    Delegado fala sobre assalto a médico em Itaporanga que terminou com criminosos presos

     



            Por Redação da Folha – Residindo no bairro Alto das Neves, em Itaporanga, há cerca de oito meses, Vitor Alves, de 25 anos, que é natural de João Pessoa e já tem passagem por roubo, foi quem planejou o crime e convenceu os comparsas a enfrentarem juntos a empreitada criminosa, mas o assalto não saiu como o planejado e eles terminaram mal. Conforme o delegado Glêberson Fernandes, o próprio acusado confessou o plano e disse também que, durante dias, estudou a rotina da vítima, o médido Gaudêncio Filho, que reside no bairro Bela Vista.

               Os outros dois criminosos são Raiff Sales, de 31 anos, que já tem condenação por roubo e é residente em Campina Grande, e Kelwin Dornelas, de 19, que é de Cabedelo e primário. Eles estavam em Itaporanga há uma semana e se preparavam para o assalto, segundo o Dr. Glêberson.

               Na noite dessa quinta-feira, 18, quando a vítima abriu o portão para entrar em sua casa, foi surpreendido pelos criminosos, que estavam de tocaia nos arredores da residência, todos armados: dois revólveres e uma calibre 12 caseira, armas trazidas de Campina Grande para cá. Eles invadiram o interior da casa, onde estavam a mulher e duas filhas pequenas do casal, agrediram o médico e sua esposa e ainda amarraram os dois. Percorreram o imóvel em busca de coisas de valor. Recolherem dinheiro, joias, aparelho de TV, computador e celulares e botaram tudo dentro do carro da vítima e fugiram, mas não chegaram a ir longe.

              Depois de se desvencilhar das amarras com a ajuda da esposa, o médico correu à casa de um vizinho e ligou para a polícia. Com as características do carro roubado, guarnições comandadas pelo tenente Bruno Urquisa avistaram o carro nas proximidades da escola Padre Diniz, a menos de um quilômetro do local do assalto, e foram exitosos na ação. Depois de bater o carro, os criminosos abandonaram o veículo e foram rendidos e presos pelos policiais militares.

                Os três foram autuados em flagrante pelo delegado Glêberson Fernandes por roubo qualificado e conduzidos à cadeia pública de Itaporanga. O veículo, o dinheiro e todos os objetos tirados da casa foram recuperados, de acordo ainda com o delegado. As armas utilizadas no assalto também foram apreendidas.

     

     

     

     

     

  •  

    Em 18/03/2021

     

    De São Paulo para Coremas, carga de droga é aprendida e três pessoas presas pela Polícia Civil

     



            Por Redação da Folha – Informações obtidas por agentes de investigação da delegacia de Coremas e com a colaboração de agentes do Grupo Tático Especial (GTE) da delegacia seccional de Itaporanga motivaram uma operação policial no final da manhã dessa quarta-feira, 17, que resultou na apreensão de drogas e na prisão de três pessoas, entre as quais uma mulher de 19 anos responsável pela condução do entorpecente de São Paulo para a cidade coremense. Ela chegou à cidade em um transporte alternativo de passageiros.

             Já esperada pela polícia, assim que desembarcou em Coremas, a mulher, que reside em Paraisópolis, São Paulo, foi acompanhada à distância pelos agentes e, no momento da entrega dos entorpecentes a dois receptadores, um jovem de 20 e o outro de 22 anos, residentes na cidade, houve o flagrante e os três terminaram presos. Foram apreendidos pelos policiais um quilo de cocaína, nove quilos de maconha e 150 gramas de haxixe, além de duas motos e dois celulares.

              Depois de autuados por tráfico pelo delegado Rodrigo Pinheiro, os dois homens foram encaminhados para a cadeia pública, enquanto a mulher foi recolhida no presídio feminino de Patos. A informação é que ela veio à cidade exclusivamente para a entrega dessa droga, mas seus planos terminaram mal.

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 12/03/2021

     

    Quarteto assalta correspondente bancário em Ibiara nesta sexta

     



               Por Redação da Folha – O assalto à mão armada ocorreu na tarde desta sexta-feira, 12, no centro da cidade de Ibiara. Quatro homens em duas motos chegaram à loja de móveis da comerciante Vera Lúcia, que fica na Rua Osório Pinto, e anunciaram o assalto.

             Eles estavam de capacete e armados. Temendo pela própria vida, a vítima não teve outra saída a não ser entregar o dinheiro que estava no caixa. No local funciona um correspondente bancário e, por isso, o interesse dos criminosos em assaltar o estabelecimento comercial.

                A quantia levada não foi divulgada, mas, além do dinheiro, os assaltantes também levaram aparelhos de celular, aumentando ainda mais o prejuízo da proprietária. Depois do roubo, o quarteto fugiu sem deixar rastros.

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 10/03/2021

     

    Mantida condenação de acusados de torturar jovens em Piancó para obter confissão de suposto furto

     



     

                   Por Assessoria de Comunicação do TJ-PB /Redação da Folha - A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu, em sessão nessa terça-feira, 9, manter a condenação de três réus acusados de torturarem duas vítimas com o fim de obter a confissão em relação a um suposto furto de galinha. O caso é oriundo da 2ª Vara Mista da Comarca de Piancó. Segundo o que foi apurado pela delegacia piancoense, no dia dois de junho de 2020, os acusados torturaram as vítimas às margens do Açude do Governo, no Bairro Mutirão, golpeando fortemente os ofendidos com estacas de madeira, chutes e socos.

              Consta nos autos que as agressões foram filmadas em um aparelho celular e a gravação circulou nos grupos de whatsapp locais, chegando ao conhecimento da polícia. No vídeo, cuja cópia consta dos autos, é possível ver com detalhes os acusados batendo nas vítimas e exclamando frases como: "quem mandou tu roubar", "nem vá dá parte viu?" e "deixe de ser folgado", golpeando-as de forma violenta.

              Consta, ainda, que o castigo físico sofrido pelas vítimas foi perpetrado para que elas confessassem o suposto furto e para que servisse de exemplo como punição para os demais da comunidade, tanto que o ato foi filmado e compartilhado pelo sobrinho de um dos acusados. Além disso, nas gravações, ainda se vê, claramente, o acusado Alex Fernandes Gonçalves Bento com um uma arma de fogo do tipo revólver em uma das mãos.

               Concluída a instrução e oferecidas as alegações finais pelo Ministério Público e pela defesa, o Juízo da 2ª Vara Mista de Piancó julgou procedente a denúncia, condenando José Carlos da Silva, a uma reprimenda de 13 anos, quatro meses e 28 dias de reclusão, em regime fechado; Antônio de Pádua Filho a uma pena de oito anos e seis meses de reclusão, em regime fechado; e Alex Fernandes Gonçalves Brito, a uma pena de 15 anos, quatro meses e 18 dias de reclusão, além de 10 dias-multa, a serem cumpridas em regime fechado.

             A defesa recorreu da sentença, alegando em suas razões que não há elementos nos autos a configurar o crime de tortura, pugnando pelo reconhecimento da atipicidade e, consequente, absolvição dos acusados. Alternativamente, pela desclassificação do delito de tortura para lesão corporal. Alegou, ainda, a inexistência do crime de porte ilegal de arma de fogo quanto ao réu Alex Fernandes Gonçalves Bento. Ao final, pugnou pela redução das penas ao mínimo legal e do regime inicial de cumprimento.

                O relator da Apelação Criminal foi o desembargador Carlos Beltrão. Ele ressaltou em seu voto que, apesar da negativa de autoria dos apelantes, o conjunto probatório demonstra que José Carlos da Silva, Antônio de Pádua e Alex Fernandes Gonçalves Neto praticaram o crime de tortura pelo qual restaram sentenciados. "Com efeito, as declarações prestadas pelas testemunhas, ao contrário do firmado pela defesa técnica, apresentam harmonia entre si e com os demais elementos de prova, merecendo total credibilidade a respaldar o édito condenatório", frisou.

               Quanto ao crime de porte de arma de fogo cometido pelo réu Alex Fernandes, o relator destacou que a materialidade e autoria delitiva restaram amplamente demonstradas nas gravações contidas nos autos, as quais revelam e identificam o acusado portando um artefato bélico. "Embora o réu tenha declarado que a arma foi vista nas imagens pertencente à vítima, tal conduta é isolada e não sustenta, até porque o réu Alex Fernandes afirma que usou a mencionada arma para amedrontar as vítimas, conforme declarações prestadas na esfera policial e em juízo", pontuou.

               Carlos Beltrão ressaltou, ainda, que o quantitativo da pena privativa de liberdade fixado na sentença mostra-se proporcional as circunstâncias do caso, justificando, plenamente, o quantum final da reprimenda imposta, bem como o regime inicial aplicado, devendo a sentença ser mantida em todos os seus termos.

     

     

     

     

     

  •  

    Em 05/03/2021

     

    Continua hospitalizado jovem condenado por crime patrimonial e ferido durante ação da polícia em Itaporanga

     



             Por Redação da Folha – O jovem Wesley da Silva Gomes, de 22 anos, continua internado no hospital regional de Patos para onde foi transferido na noite dessa quinta-feira, 4, depois de receber os primeiros cuidados médicos em Itaporanga. O rapaz foi ferido na perna quando tentava fugir de agentes do Grupo Tático Especial (GTE) da delegacia local. As últimas informações apontam para um quadro clínico estável e sem risco de morte.

             Acusado de envolvimento em vários roubos de motocicletas, tentativa de homicídio e condenado a mais de seis anos de reclusão por um dos crimes patrimoniais entre os que figura como autor, o rapaz teve a prisão preventiva decretada pela Justiça de Itaporanga. Na tarde dessa quinta, agentes do GTE foram cumprir o mandado em sua casa, que fica na Rua Santo Antônio, mas, ao perceber a presença da polícia, o jovem, que estava armado, trancou-se dentro da residência  e, depois, pulou o muro e escondeu-se no interior de uma casa vizinha, que está abandonada, conforme relato policial.

             Depois de cercar o local e invadir a casa, os policiais foram surpreendidos com a fuga repentina do rapaz por uma janela. “Como ele correu em direção a um colega nosso e diante da possibilidade de ele sacar a arma, foi preciso dar um tiro de contenção”, comentou um dos agentes que participou da operação policial.

             Mas, na verdade, neste momento o jovem já não estava armado, porque havia descartado o revólver no muro de sua casa. A arma foi encontrada pelos agentes e encaminhada à delegacia, o que motivou a autuação em flagrante do acusado por porte ilegal de arma. Nesta sexta-feira, saiu mais um mandado de prisão preventiva contra Wesley, também por crime patrimonial.  

     

     

     

Aguarde um momento... Está carregando!
Desculpe, não foi encontrado nenhum resultado.

 

 

 
Informes & Opinião

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados